Postado em 30/06/2017

Por que a frequência de consultas é importante

Muitas pessoas fazem o possível para não ir ao médico e só o procuram quando realmente não dá mais para evitar. São diversas as razões, como falta de tempo, medo ou simples descuido com a saúde. Se esse é o seu caso, está na hora de rever os conceitos. Manter hábitos saudáveis ajuda a cuidar da saúde, mas manter uma frequência de consultas também é muito importante para evitar doenças.

Dor de cabeça frequente, falta de ar, sonolência excessiva, ir ao banheiro muitas vezes durante o dia… Tudo isso são sintomas de que há algo errado. Esperar que o problema se resolva sozinho não é um caminho muito inteligente. Isso porque os sinais muitas vezes são um alerta de que o corpo pede atenção e pode haver um problema sério a se alastrar.

A prática de exercícios e uma boa alimentação realmente evitam que haja uma necessidade de maior frequência de consultas e, se não há nenhum problema aparente, você provavelmente não se preocupará em ir ao médico. No entanto, existem sintomas e doenças que não se manifestam e só são descobertos em exames de rotina. Por isso, é altamente indicado que se faça um check up pelo menos uma vez ao ano como forma de prevenção de doenças.

Há muitos programas de prevenção que ajudam a conscientizar para a importância dessa atitude. As mulheres são alvos constantes de campanhas contra o câncer de colo de mama, por exemplo. Doenças epidêmicas também pedem cuidado maior, visto como podem afetar a população quando menos se espera. É o caso da dengue, da zika e até da gripe, que podem ser evitadas a partir da vacinação.

Existem diversos motivos para ir ao médico com frequência mesmo sem sintomas, mas nenhum é tão importante quanto o principal: você. Cuidar da sua saúde é uma atitude que não tem preço e prevenir é sempre melhor do que remediar. Não que você deve marcar presença no consultório o tempo todo, mas manter uma periodicidade regulada ajuda a manter a saúde sob controle. A partir dos 30 anos principalmente, já que o organismo começa a desacelerar e os riscos de doenças crônicas e hereditárias aumentam. A frequência ideal para cada grupo de risco em condições normais é:

Crianças:

Recém-nascidos devem manter um acompanhamento mensal até completarem um ano, pois ainda possuem imunidade muita baixa. A partir de então, o intervalo pode diminuir gradativamente, tornando-se anual a partir dos cinco anos. É importante saber quando deixar o pediatra para começar a frequentar o clínico geral.

Adultos:

O check-up deve ser anual. As mulheres devem ir ao ginecologista a cada dois ou três meses e homens a partir dos 40 anos devem visitar o proctologista a cada seis meses.

Idosos:

De acordo com o estado de saúde. Diante de quadros que pedem acompanhamento frequente, exames devem ser feitos pelo menos uma vez a cada seis meses.

Gestantes:

Consultas mensais de acompanhamento, tornando-se quinzenais no último mês.

É importante frisar que doenças congênitas e casos específicos pedem uma maior frequência de consultas. Se você mora em Arujá ou região, marque sua consulta no JM Consultórios. Você encontra clínicos gerais e outros  profissionais especializados em diversas áreas médicas.