Postado em 01/02/2018

Febre amarela e os cuidados com a doença

Em meio à uma forte campanha de vacinação cheia de polêmicas e discussões, o tema da febre amarela nunca ficou tão em evidência no Brasil. O surto da doença é preocupante, mas nem todos estão informados sobre os riscos reais que ela representa.

Enquanto a vacina é uma maneira de prevenção contra a febre amarela, foram reportadas algumas reações por pessoas que a tomaram, incluindo problemas que levaram à morte. Como toda medicação, existem as contraindicações e você deve estar atento se pode ou não aderir à campanha de vacinação.

Confira a seguir os sintomas da febre amarela e os riscos da vacina.

Sintomas da febre amarela

Os sintomas da febre amarela aparecem de acordo com a gravidade da doença. Casos leves podem apresentar febre, náuseas, dor de cabeça, dor muscular, fadiga, calafrios e vômitos. Os casos graves costumam ocasionar consequências mais sérias, como insuficiência renal e hepática e hemorragias.

Riscos da vacina de febre amarela

Enquanto pessoas que adquiriram a febre amarela e se curaram quase sempre se tornam imunes, o restante da população se preocupa com os surtos, surgindo as alarmantes campanhas de vacinação. Mas quais são os riscos da própria vacina?

A substância é feita com o próprio vírus da doença, enfraquecido para que o corpo possa reagir ao mesmo e formar anticorpos. Nesse contexto, há o risco de o corpo não conseguir produzir a defesa esperada e os vírus se fortalecerem e se multiplicarem.

Por isso, pessoas com sistema imunológico frágil ou deficiente estão contraindicadas a tomar a vacina. Os grupos de risco incluem crianças menores de 6 meses, pessoas com mais de 60 anos, pacientes soropositivos com contagem de células CD4 abaixo de 200 células/mm³, pacientes em tratamento com drogas imunossupressoras, pacientes submetidos a transplantes de órgãos ou com neoplastia, indivíduos com histórico de reação a alguma substância da vacina, entre outros.

Se você tiver dúvidas, pode conversar com seu médico. Que tal agendar uma consulta de clínica médica no JM Consultórios?

 

Por Drª Maria Rafaella