Postado em 25/11/2017

Doação de sangue: Uma campanha do bem pela vida

Que tal fazer uma boa ação hoje? 25 de novembro é o Dia do Doador Voluntário de Sangue e a campanha é mais uma vez em prol da vida. Ajudar a abastecer os estoques de sangue nos hospitais e prontos-socorros é uma atitude muito nobre, ainda mais na atual necessidade de doação de sangue.

A divulgação e o reforço em destacar a campanha precisa cada vez mais ser feita: o estado de São Paulo está com baixos estoques e alguns tipos de sangue estão em faltam nas instituições públicas. Essa é uma constatação feita recentemente pela Fundação Pró-Sangue referente ao mês de outubro de 2017.

O JM Consultórios apoia essa causa. Por isso, aproveitamos a data para reforçar os procedimentos para a doação de sangue e a importância do gesto. Confira como ser um doador!

Tipos de sangue

Os tipos de sangue são bem conhecidos pela população em geral: A, B, AB e O, que variam entre RH positivo e RH negativo. De todos eles, o mais raro é o O negativo, que requer mais atenção para a doação de sangue.

Nos hospitais, a necessidade gira em torno principalmente dos tipos com RH negativo. É muito importante que todos façam a sua parte, não só nas épocas em que a campanha de doação de sangue ganha mais visibilidade. As doações podem ser feitas até 3  vezes por ano para mulheres e 4 vezes por ano para os homens.

Quem pode participar da doação de sangue

Infelizmente, nem todo mundo pode fazer a doação de sangue, o que acaba excluindo uma parcela dos voluntários. Essa triagem é necessária para a coleta de material de qualidade e também para evitar que os voluntários possam se sentir mal durante a retirada de sangue.

O perfil ideal é pessoas entre 16 e 69 anos com boas condições de saúde e mais de 50 kg, sendo que a primeira doação deve ser feita até os 60 anos. Pessoas com tatuagens recentes (menos de 12 meses), grávidas ou mulheres em amamentação são excluídas na triagem. Também não se deve ingerir bebidas alcoólicas pelo menos 12 horas antes da doação.

Outros perfis contraindicados são pessoas nas seguintes situações: gripes ou vacinas contra gripe antes de 48 horas, procedimentos endoscópicos, uso de medicação para extração dentária ou canal, cirurgias dentárias com anestesia geral no período de um mês, herpes etc.

Já quem teve hepatite após os 11 anos, tem evidência de doenças infecciosas transmissíveis pelo sangue, usa ou usou drogas injetáveis e/ou tem malária jamais poderá fazer a doação de sangue. A lista completa de casos de exclusão pode ser verificada nos postos responsáveis ou durante a triagem.

Uma indicação importante é estar com o repouso em dia, tendo dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas. Também é necessário que a pessoa esteja bem alimentada e evite alimentos gordurosos pelo menos 4 horas antes da doação de sangue.

Para ser um voluntário, basta comparecer a um posto autorizado com documento com foto e passar pela triagem, respeitando as condições determinadas.

Cuide da sua saúde e continue doando sangue. Confira a importância de realizar consultas de rotina com regularidade.