Postado em 20/07/2017

Diabetes: você sabe se tem predisposição?

É muito difícil encontrar alguém que não goste de doces. Você se imagina tendo que se privar ou controlar com muito cuidado a ingestão de açúcar no seu dia a dia? Pois essa é a realidade de muitas pessoas que sofrem com diabetes. O número de casos no Brasil em pessoas entre 20 e 79 anos já passa de 14 milhões, sem contar mais de 5 milhões não diagnosticados. Cada faixa etária possui predisposição para diferentes tipos de doença – confira alguns exemplos no nosso e-book “As doenças mais comuns para cada faixa etária” – e essa é só mais uma delas, que costuma se distinguir entre dois intervalos de idade. Com uma quantidade tão alta de quadros clínicos, trata-se de um problema que vale a atenção e a prevenção. Você sabe se tem predisposição à diabetes? Então fique em alerta para os sinais!

Tipos de diabetes

Antes de aprender a identificar a doença, é importante saber que existem dois tipos de diabetes. O tipo 1 é mais frequente entre crianças e adolescentes, sendo mais fácil de identificar pelos sintomas. Já o tipo 2 corresponde a 90% dos casos e é associado ao processo de envelhecimento e ao estilo de vida, sendo uma doença difícil de identificar antes de se revelar pelo quadro clínico. Alguns fatores comuns para o desenvolvimento do tipo 2 são a obesidade e o sedentarismo. Então, se você se encaixa nesses dois perfis, precisa ficar mais atento e mudar os hábitos.

Sintomas

A diabetes do tipo 2 costuma não exibir sinais e, muitas vezes, só é identificada quando fica descontrolada. No tipo 1, os sintomas de alerta mais comuns são sede e urina em excesso, além do cansaço e esgotamento físico. Em um quadro clínico avançado, o excesso de açúcar no sangue gera maior necessidade de urinar e, consequentemente, a pessoa precisa de mais água durante o dia para ficar hidratada. Com isso, existe também perda de calorias e até de peso, o que pode provocar mais fome na pessoa. Esse fator explica também o cansaço frequente, já que não há energia suficiente no corpo, com grande risco de ocorrer tonturas. Podem surgir ainda infecções urinárias, visão embaçada e quadros de insônia sem motivos aparentes ou gerados pelo desconforto urinário.

Prevenção

Se você possui sintomas semelhantes e tem casos de histórico na família, deve um procurar um médico e fazer os exames. A visita ao consultório é importante principalmente a partir dos 45 anos, quando deve ser feita com frequência para verificar os indícios da diabetes – pelo menos uma vez por ano. É muito recomendada também a prática de exercícios físicos e caminhadas para colocar o corpo em movimento e evitar excesso de peso, fatores determinantes no surgimento da doença.

Uma boa alimentação, sem excesso de açúcar e bebidas alcoólicas, é um ótimo alicerce contra a diabetes. Se você já possui a doença ou vir a descobrir a presença dela, é mais do que necessário alterar o cardápio. Que tal conferir algumas dicas de como adaptar a sua dieta para a diabetes?