Postado em 18/10/2017

Dia do Médico e a medicina na História

O mês de outubro tem muitas datas no calendário voltadas à área da saúde e 18 de outubro é para todos os profissionais que dedicam seu tempo para salvar vidas. Hoje é Dia do Médico! Por isso, vamos falar sobre a história da medicina.

A medicina teve diversos momentos e fases, mas decidimos destacar alguns pontos e debates específicos que marcaram a História.

Sabemos que muito do que é praticado hoje tem origem em civilizações antigas, como a Grécia Antiga. Ao mesmo tempo, o Renascimento trouxe grandes avanços com as observações empíricas. E o que dizer das curandeiras da Idade Média perseguidas por bruxaria? Neste Dia do Médico, confira um pouco sobre esses temas a seguir!

Medicina na Grécia Antiga

A medicina atual tem bastante influência dos métodos praticados na Grécia Antiga. Um dos principais nomes é Hipócrates, considerado o Pai da Medicina. Ele ganhou essa fama por criar os princípios de conduta e ética médica. Era também líder da Escola de Cós, que tinha por objetivo analisar patologias e identificar métodos de cura para as doenças.

Uma das contribuições de Hipócrates é a constatação de que as patologias são influenciadas por fatores como o clima, região, raça e hábitos alimentares. Tal estudo ganhou o nome de Aforismo.

Renascimento e os primeiros avanços científicos

O Renascimento foi uma época de descobertas, quando a sociedade começou a separar a religião de outras áreas do conhecimento. A medicina foi uma das beneficiadas por esse avanço. O que antes poderia ser considerado milagre passou a ser observado e estudado.

O homem começou a realizar experimentos para explicar as coisas, incluindo a dissecação de cadáveres. Alguns resultados foram o mapeamento do corpo humano, a substituição da cauterização pela suturação e o surgimento dos primeiros medicamentos para curar doenças.

Uma curiosidade é que as cirurgias até então eram praticadas por barbeiros, que usavam seus instrumentos tanto para operações de risco como para cortar cabelo. E já havia a noção do médico de confiança.

Bruxaria ou medicina?

Durante a Idade Média, uma presença marcante na História foi a figura das bruxas, mulheres que sofreram perseguição religiosa pela Inquisição Católica. Foi um período muito conturbado onde tudo que fugia dos padrões era rejeitado.

Nesse contexto, as mulheres que desenvolviam técnicas de cura por ervas e técnicas diferenciadas eram apontadas como bruxas, ao lado de outros perfis subjulgados pela Igreja.

As curandeiras construíam suas habilidades de cura através de experiências empíricas e heranças de antepassados, que eram repassadas na linhagem feminina. Parteiras também entravam na lista, principalmente porque os métodos eram bem simples e as taxas de mortalidade no nascimento eram altas.

O fator que causou a perseguição é que o padrão medicinal da época era formado exclusivamente por homens. Esses não compreendiam as técnicas de cura das mulheres e como elas tratavam doenças vistas como incuráveis. Então, acreditavam que elas tinham poderes malignos.

Como o dom dessas mulheres era incompreendido, elas acabavam sendo responsabilizadas também por doenças desconhecidas, vistas como maldição e feitiçaria. Assim, acabavam incluídas na lista de perseguição religiosa e vítimas de um dos preconceitos de gênero mais famosos da História.

O Dia do Médico também é válido para a conscientização. Que tal aproveitar que vivemos em uma época bem mais aberta e avançada para evitar doenças? Descubra as doenças mais comuns para cada faixa etária e previna-se!